quarta-feira, 22 de junho de 2016

De repente 50! Dá licença?

De repente, 50! Dá licença?

 “Otelo” famoso personagem de Shakespeare disse que todos devem parecer o que são, ou então não parecê-lo”.
Porque citei Otelo? Porque estou entrando em uma nova fase cronológica em minha vida. E percebi que não é somente cronológica.
Tá, você me pergunta: Mas só agora que viu? Diria que não, mas que senti, sim.
Completei 50 anos neste mês, e me sinto ótima! Na verdade, nunca me preocupei com idade. Ter 30, 40 e agora 50, não alterou meu ritmo de vida. Mas estou sentindo que as pessoas é que se incomodam. Acho que nossa velha cultura da juventude, é muito cruel com todos.
Quando um amigo, conhecido, ou mesmo um estranho, descobre que tenho 50 anos, fica surpreso e diz: -Nossa!  Você não aparenta essa idade!!!
- Como? Mas eu tenho essa idade! E quero ter! Quero aparentar ter!
Tenho amigas, conhecidas, que também tem 50 anos e antes disso, já fizeram várias “intervenções” plásticas. Ficaram bem, mas eu particularmente, não gosto. Olho para elas e vejo os 50 anos lá.  
Ter 50 anos! Meio século! Que coisa. Eu nunca imaginei chegar a essa idade. Eu também não contava que ia envelhecer. Sim, envelhecer. Pois a partir dos 50 anos, tanto seu corpo, quanto a sociedade, te envelhece.
Mas eu não sinto esses “50”, esqueço. Sim. As coisas que já vivi são tão próximas que nem percebi. Ao mesmo tempo, são muitas. Muitas lutas, muitas tristezas, alegrias, mudanças, amigos, amores. E vontade de ver mudanças, e também, de mudar.
Sempre tive um desejo de mudança que carrego na alma. Minha alma que voar e quer me levar.
Sinto que estou começando! Quero mochilar! Sim. Ah, e quero ter cara de 50 anos! Dá licença?


Palmas, junho 2016

domingo, 13 de dezembro de 2015

Pesquisar este blog